Evolução do Hardware para a utilização do E-commerce

Chamamos de hardware a parte física do computador, ou seja, os dispositivos eletrônicos, placas, peças, circuitos e equipamentos periféricos internos e externos que fazem o computador funcionar ou estendem as suas funcionalidades.

Vamos traçar um breve histórico da evolução dos computadores, que permitiu processar um volume cada vez maior de dados e produzir informações que, hoje, são o maior trunfo da era em que vivemos:

• O hardware iniciou sua trajetória de forma modesta e manual, servindo para ajudar na resolução de cálculos, como os ábacos inventados há mais de 5000 anos, na região mesopotâmica, entre os rios Tigre e Eufrates, pelo povo árabe, e depois utilizados na China também há milhares de anos.
• Posteriormente, o equipamento mais notável foi o de 1623, criado por Schickard, que tem atribuído a si a invenção da primeira calculadora mecânica. Nessa mesma época, um pouco mais adiante, tivemos as invenções de Pascal e Leibniz, que também descreveram o código binário, o qual só entrou em uso no século 20.
• Napier criou a régua de cálculo, mesmo artefato que foi utilizado para o projeto Apollo que levou o homem à Lua.
• No século 19, Jackard criou o tear automático e Holerit, a máquina de cartões perfurados,
que ajudou o censo americano. Sua empresa acabou se transformando na IBM.
• Já no século 20, Eckert e Watson, por volta da década de 40, escreveram artigos que
abordavam o uso dos cartões perfurados em computação.
• A década de 40 do século 20 também inaugurou a computação digital, pois, durante a
guerra, era necessária muita potência computacional para resolver cálculos para a criação
de armamentos. Todavia, somente em 1949, a arquitetura de Von Newmann foi criada e
até hoje os computadores são produzidos dessa forma.
• Durante a Segunda Guerra, uma máquina totalmente eletrônica, chamada Colossus, foi
utilizada largamente para decifrar as mensagens das máquinas enigmas Alemãs. Turing e
Von Newman trabalharam no projeto.
• ENIAC foi construído em 45, como prova da aplicabilidade da eletrônica em larga escala.
Seus pais foram Mauchly e Eckert.
• Em 1951, o UNIVAC I entrou em funcionamento, fechando, juntamente com as
calculadoras de cartão perfurado de Rand, a primeira geração de computadores.
• 1948 foi o ano da invenção do transistor e a IBM lançou seu modelo 650 com essa
invenção, em 1954 e em 1964, do System/360.
• A partir de 1958, com a invenção do circuito integrado, a venda de computadores bem
como seu uso aumentaram progressivamente com uma profusão de novos paradigmas de
hardware baseados na mecânica quântica e na biologia, como as sequências genéticas.
• A microcomputação, a partir da década de 70 até a data presente, com computadores
de uso pessoal e internet, proporcionou a possibilidade da computação distribuída e a
virtualização do hardware como avanços mais notáveis

Podemos definir software, de forma simplificada, como sendo a
parte lógica do computador. Envolve a criação e a manipulação bem
como o uso de instruções, redirecionamento e demais tarefas lógicas
dos computadores. Os softwares podem ser classificados em três tipos:
• Software de sistema – feito para controle e coordenação do
hardware e de outros softwares.
• Software de linguagens – são softwares que, a partir de códigos de comando escritos, na
maior parte das vezes, em uma linguagem inglesa simplificada, criam códigos executáveis
em linguagem de máquina utilizada pelos componentes de um sistema.
• Software de aplicação – escritos para a resolução de problemas comerciais ou outros
serviços de processamento de dados.
Azevedo (2009 apud PRESSMAN, 1995) eleva a classificação acima para sete, a saber:
• Software básico – é uma coleção de programas escritos para dar apoio a outros
programas. A área do software básico é caracterizada por: forte interação com o hardware
de computador; intenso uso por múltiplos usuários; operações concorrentes que exigem
escalonamento “schedule”; compartilhamento de recursos e sofisticada administração do
processo; estruturas de dados complexas e múltiplas interfaces externas.
• Software de tempo real – monitora, analisa e controla eventos do mundo real. Entre os
elementos do software de tempo real incluem-se: um componente de coleta de dados, que
obtém as informações provenientes de um ambiente externo; um componente de análise,
que transforma as informações conforme a aplicação exige; um componente de controle /
saída, que responde ao ambiente externo; e um componente de monitoração, que coordena
todos os demais componentes de forma a dar resposta em tempo real. O termo “tempo
real” difere de “interativo” ou “time sharing” (tempo compartilhado). Um sistema de tempo
real deve responder dentro de restrições de tempo estritas. O tempo de resposta de um
sistema interativo pode ser, normalmente, ultrapassado sem resultados desastrosos.
• Software comercial – é a maior área particular de software. As aplicações dessa área
reestruturam os dados de uma forma que facilita as operações comerciais e as tomadas de
decisões administrativas. Além da aplicação de processamento de dados convencional, as
aplicações de software comerciais abrangem a computação interativa.
• Software científico e de engenharia – tem sido caracterizado por algoritmos de
processamento de números. As aplicações variam da astronomia à vulcanologia, da análise
de fadiga mecânica de automóveis à dinâmica orbital de naves espaciais recuperáveis e
da biologia molecular à manufatura automatizada.
• Software embarcado – é usado para controlar produtos e sistemas para os mercados
industriais e de consumo. O software embutido (“embedded software”) reside na memória
só de leitura “read only” e pode executar funções limitadas e particulares (por exemplo,
controle de teclado para fornos de micro-ondas) ou oferecer recursos funcionais de
controle significativos (por exemplo, funções digitais em automóveis, tais como: controle,
mostradores no painel, sistemas de freio, entre outros.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code