Plano de Marketing VS Plano de Negócios

O marketing e a Administração possuem planos independentes. No marketing, o foco é o Plano de Marketing e, na Administração, foco é o Plano de Negócio, porém o Plano de Marketing é um capítulo do Plano de Negócio da empresa. O Plano de Negócio e o Plano de Marketing constituem uma documentação que todos devem seguir dentro da empresa.

O Plano de Negócio é o plano que contém informações empresariais que documentam, de forma descritiva, onde a empresa e seus setores se encontram e aonde pretendem chegar, traçando tanto objetivos internos como externos. Seus principais pontos são:

O que é a empresa? Onde ela está ? Aonde e como quer chegar?

Esta ferramenta da Administração tem por objetivo fundamental ajudar na gestão e no planejamento de uma empresa, sendo um dos principais documentos requeridos para empréstimo bancário, financiamento e investimento.

Para saber mais sobre o Plano de Negócio, acesse a Biblioteca do Sebrae: http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/bds.nsf/797332C6209B4B1283257368006F F4BA/$File/NT000361B2.pdf

 

O Plano de Marketing contém os objetivos e estabelece estratégias de marketing para alcançá-los. Este documento interativo é uma forma de guia ou de instruções para os envolvidos, tendo em vista a satisfação do cliente e lucratividade para a empresa.

Quadro: Conteúdo de um Plano de Marketing, segundo Kotler e Armstrong.

Seção  –> Propósitos

Resumo executivo  –> Apresenta uma breve visão do plano proposto para ser examinado rapidamente pela direção.

Situação corrente do marketing –> Apresenta dados relevantes sobre o mercado, produto, concorrência e distribuição.

Análise das ameaças e oportunidades  –> Identifica as principais ameaças e oportunidades que podem causar impacto no produto.

Objetivos e questões  –> Define os objetivos da empresa para o produto nas áreas de venda, participação no mercado e lucro, e as questões que afetarão esses objetivos.

Estratégia de marketing  –> Apresenta a ampla abordagem de marketing que será usada para os objetivos do plano serem atingidos. Programas de ação Especifica o que será feito, quem fará, quando será feito e quanto custará.

Orçamentos  –> Uma projeção de lucros e perdas, prevendo os resultados financeiros esperados do plano.

Controles  –> Indica como a execução do plano será acompanhada de perto. Fonte: Kotler e Armstrong (2000, p.31)

Economia vs. Nova Economia (visão de consultor de e-commerce)

Introduzir tecnologia da informação requer planejamento judicioso e análise dos custos envolvidos comparados com as vantagens mercadológicas almejadas, porém se tem vendido produtos de tecnologia da informação como se fossem soluções mágicas que resolvem tudo facilmente.

A economia atual faz uso de transformações tecnológicas de processos e produtos, produção e gestão baseadas em conhecimento. Para tanto, tem-se dois momentos: o primeiro é a introdução da tecnologia de informação na economia industrial e na agrícola, o segundo são os produtos específicos da indústria informacional, virtual ou digital, dispositivos que processam a informação ou próprio resultado da digitação e processamento da informação.

Apesar de o processo de virtualização ocorrer a muito tempo, é apenas nos dias de hoje que ele se tornou claro e presente. No espaço virtual vem sendo criado vários portais e páginas, que abrigam atividades econômicas até então só existentes no mundo real.

Para a criação dessas ferramentas, fez se necessário o desenvolvimento de novas técnicas de telecomunicações (satélites, fibra ótica e sem fio), e sua implementação junto as tecnologias da informação complementam a plataforma cibernética e multifuncional, sobre a qual é construído o mundo virtual.

A web plataforma, ou somente internet, realiza esta plataforma cibernética de forma cada vez mais abrangente e de fácil acesso, criando e adaptando novas técnicas, tecnologias e ferramentas virtuais, mas, mesmo assim, a todo momento novas tecnologias, dispositivos, ferramentas e processos mais adequados à realização de atividades no espaço cibernético e de comunicação entre o mundo real e o virtual são introduzidos, tornando a web plataforma um ferramenta obrigatória para a maioria das instituições.

teo costa
teo costa

Site para Imobiliária e Corretor de Imoveis Autonomo?

Deseja criar um website para a sua imobiliária ou como corretor de imóveis autônomo?

Tome os seguintes cuidados ao contratar uma empresa que ofereça soluções para a sua imobiliária:

1) Reclamações no Reclameaqui. Ao pesquisar a empresa, veja bem as reclamações da empresa no reclameaqui. Temos uma empresa que se diz a maior do mercado, está entupida de reclamações.

“Ah mas empresa tem reclamaqui é normal”. Sabia que apenas 1% dos clientes apresentam as reclamações? Isso quando é o mercado corporativo. Imagine quantas imobiliárias de porte, que possuem um departamento jurídico, iria perder seu tempo com o reclameaqui? Não.

Ou seja, se a empresa tem 30 reclamações, saiba que 3.000 clientes foram lesados.

Então quando for contratar o seu site para imobiliária, já sabe. Não contrate de empresas que estejam no RA (ReclameAqui). Continue lendo “Site para Imobiliária e Corretor de Imoveis Autonomo?”