E-marketplace: B2B – B2C – C2C- B2B2C – G2C – G2B (e-commerce com níveis de interatividade)

E-marketplace

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
E-marketplace
E-marketplace

E-marketplace (acrónimo da sigla inglesa Electronic marketplace). Comércio eletrônico no sentido mais amplo.

O E-marketplace é definido por negócios entre:

  • Empresas e empresas (B2B) ex: Comercial Gomes (Loja de Atacado do Pari que vende apenas para empresas)
  • Empresas e consumidores (B2C) (ex: website de vendas da Arsenalcar, Ferkauto, Torchtools, Multivisi )
  • Consumidores para consumidores (C2C) (ex: site do Mercadolivre, OLX,  sites de classificados)
  • Empresas e Empresas e Empresas e Consumidores (B2B2C) (ex: Shopko ou DemoraPouco)
  • Governo e consumidores (G2C) (ex: pagamento via Internet: ICMS, IPTU, ISS, IPVA) – Detran – Fazenda
  • Governo e empresas (G2B) (ex: Central de compras do estado na Internet)

O E-marketplace pode ser genérico (abarcar todos os sectores de atividade) ou temático (apenas um setor de atividade).

O E-marketplace pode ter vários níveis de interatividade: consulta de catálogos (promoção institucional de empresas e produtos / serviços); encomendas online; transações online; integração de processos de negócio; etc.

A ideia do e-marketplace está em disponibilizar, através de meios eletrônicos, produtos de um mesmo ramo de atividade para que as empresas possam comprá-los. Eles proporcionam um conjunto de benefícios aos seus adeptos como:

• Reduzir custos internos inerentes ao processo de compra e venda;
• Transacionar em novos canais;
• Comparar preços e produtos;
• Utilizar novas ferramentas de compra e venda

A regra para que um e-marketplace tenha sucesso esta na rápida geração de pessoas interessadas em um determinado produto, assim, com mais compradores mais vendedores ficarão tentados a participar deste processo e o aumento do número de transações levará à continuidade do negócio. Uma das regras para o gerenciamento adequado de um eMarketplace é que os compradores devem concordar com as regras para efetivamente efetuar a transações.

Os e-Marketplace devem se integrar facilmente as plataformas tecnológicas de compradores e vendedores para permitir uma rápida formação da massa crítica de transações. Resumindo os e-marketplace estão sendo criados sob o foco de redução de preços, mas esse não é um diferencial que garanta o longo prazo das operações, pois a Internet tem um enorme potencial de fornecer serviços melhores. Portanto, para a continuidade dos e-marketplace os seguintes desafios tem que ser vencidos.

Atrair um grupo significativo de pessoas interessadas;
• Criar uma infra-estrutura tecnológica compatível com negócio;
• Manter custos baixos;
• Manter serviços atualizados;
• Sobreviver à competição;
• Atingir viabilidade de longo prazo.

Este tipo de negócio proporcionou às grandes empresas automobilísticas a possibilidade de baixar custo de matéria prima através de cotações elaboradas de forma simples. O simples fato de emitir uma cotação e várias empresas do ramo poder acessar estas informações, fez com que as empresas fornecedoras pudessem apresentar suas propostas contendo custo, prazo de entrega e outras solicitações feitas por um possível comprador.

Próximo de 20% das ofertas do e-commerce são via marketplace, acredite!

Não é fácil. Não é para todos. Existem obstáculos. Necessita de estratégia.

Marketplace é uma nova modalidade de comércio online onde dentro de um único site várias empresas podem vender seus produtos sem arcar com custos de um e-commerce, também chamado de shopping online ou e-shopping.

Se você está achando que basta apenas chegar e sair vendendo no marketplace, mero engano.

O que eu ouço de parceiros informando que entram em contato com o Marketplace para vender e nem recebem respostas.

Mas acredite: Se tiver uma estratégia: Apresentação, credibilidade, preço, produto, entre outros. Continue lendo “Próximo de 20% das ofertas do e-commerce são via marketplace, acredite!”