Obtendo um domínio para uma hospedagem particular

Caso a opção não seja contratar um hosting, mas, sim, preparar um server em uma empresa, deve-se seguir os passos abaixo:

Primeiro: antes tudo, deve-se guardar o domínio em questão. Após esse passo, é preciso contratar um plano de Internet junto ao ISP* com IP fixo (O IP será o mesmo sempre, diferentemente das conexões domésticas, que são dinâmicas e o número IP muda), geralmente, com banda dedicada (diferentemente das bandas domésticas, que são variáveis, alterando a banda conforme horários de pico; a provedora da Internet garante apenas 10% no contrato do valor contratado).

*ISP (ou Internet Service Provider ou Provedor de Serviços de Internet): são empresas que têm como recurso principal o acesso à Internet. São elas que fornecem o IP e fazem a “ponte” entre um IP e outro. O IP fixo é fornecido por elas. As principais ISPs da cidade de São Paulo são: Vivo – antiga Telefônica, StarOne da Embratel, NET,etc.

Neste endereço: http://internet-map.net/ , pode ser vista a rede mundial de computadores de forma gráfica, precisamente em forma espacial, a qual parte do princípio de que cada endereço é um ponto no espaço e esse espaço é aumentado conforme sua importância (número de acessos).

Segundo: deve-se preparar um servidor, ou seja, em vez de usar um microcomputador, usam-se um servidor e todo aparato de equipamentos necessários para que funcione (ex. nobreak, estabilizador, mouse, teclado, monitor, impressora, roteador, switch, etc.), pois permite múltiplas conexões, maior confiabilidade em aplicações multitarefas, etc. Vários servidores podem ser vistos nos principais fabricantes, como Dell, IBM e HP .

Terceiro: é necessário algum sistema operacional que rode em servidor, como, por exemplo, Linux, Unix, Ms Windows Server ou NT, Novell, entre outros, e é preciso, também, possuir o webserver que irá receber as conexões externas pela web e apontar os clientes para as páginas Web. São estes os principais servidores: Apache Server, Microsoft IIS (Internet Information Server), Tomcat , etc.

Quarto: deve-se adquirir uma licença anual do Certificado de Autenticação. Esse certificado gera o Https no servidor, que dará suporte a cartões de crédito e conexões criptografadas e seguras (são requisitos básicos para transações em alguns bancos).

Porém, antes, é necessário baixar um software de Certificate Signing Request (CSR) ou Pedido de Certificado de Assinatura para o webserver do servidor. Esse software gerará uma chave no servidor que, ao ser enviada para a empresa provedora da CA ou Certificado de Autenticação, esta fornecerá o download do software de Certificação SSL e, ao instalar no webserver, ela copiará os endereços do logotipo da empresa CA e postará no código-fonte da página web. Os procedimentos das empresas CAs variam de empresa para empresa, mas, após esses passos, a aplicação web estará segura, como mostra a Figura (A), com a barra de endereço do browser do cliente (Google Chrome®) iniciando com Https (Caso haja algum erro na autenticação, aparecerá o que se vê na Figura (B), demonstrando que a conexão não é segura. Também pode ser provocado esse erro por browsers antigos ou pela data e hora do computador que estejam incorretas).

Após a Certificação SSL, é acrescentada à rede do servidor uma camada de segurança. Pode-se observar a diferença entre uma rede com SSL (certificada) e outra sem, embora seja em linguagem de máquina e seja “transparente” exceto pela apresentação do Https, pelos browsers

1

Com SSL (1) a primeira rede da figura confiável. (2) na barra de endereço da figura confiável são claramente vistos o Https e o símbolo do cadeado. A confiabilidade deste domínio está na autenticação, integridade e privacidade de dados. (3) a camada TCP da rede está abaixo da camada SSL (Secure Socket Layer), que se introduz ao assinar um Certificado Digital, A SSL (Secure Socket Layer) é uma camada que permite que as conexões HTTPS (porta 443) com o browser do usuário sejam criptografadas. Browsers antigos, geralmente, possuem conflitos com certificados atuais, e problemas também são encontrados em microcomputadores que estão com data e hora desatualizados. Exemplo: ao entrar no GMAIL com a data no computador de 1-1-2007. A criptografia das mensagens pode variar de empresas de CA, bem como seu algoritmo e tamanho da chave de comunicação

Sem SSL (1) segunda rede da figura não confiável. (2) a barra de endereço mostrada na figura, aparece apenas o www., pois o http:// é automaticamente ocultado pelo browser. (3) note que a camada TCP na figura, está abaixo da camada de aplicação, ou seja, da porta HTTP.A porta HTTP comunica se diretamente com o browser sem nenhuma criptografia.

Obtendo um domínio para uma hospedagem terceirizada

Para se ter um e-commerce ou website, deve-se, primeiro, “guardar” o domínio; em segundo lugar, deve-se solicitar a uma das empresas de hosting ou hospedagem (veja 2.1.1) que aponte os servidores para o domínio que irá ser registrado; em terceiro, as empresas devem enviar de dois a três endereços IPs; e em quarto lugar, esses endereços serão apontados no cadastro do domínio do Registro.br.

Empresas de hospedagem ou hosting São empresas que hospedam websites e que possuem diversos planos e serviços que devem ser analisados atentamente. Antes de assinar um hosting, é necessário analisar vários aspectos que dizem respeito à empresa:
(1) É idônea, isto é, reconhecida por sua confiabilidade e estrutura ?
(2) Tem suporte à linguagem de programação usada no website ou e-commerce?
(3) Tem suporte ao Banco de Dados utilizado no website ou e-commerce?
(4) Tem suporte 24 horas?
(5) Não fica fora do ar constantemente?
(6) Não fica lento ao entrarem várias pessoas ou em horários de pico (19:00 às 22:00) ?
(7) Algumas hospedagens oferecem sistema de gerenciamento de conteúdo* e templates* para manipulação de websites em seus pacotes, ou seja, não, necessariamente, o assinante precisa desenvolver um website.

Glossário

*template: é o nome dado ao modelo de conteúdo ou documento. Neste caso de hospedagem, são modelos de páginas pré-prontas que o assinante ou usuário modifica apenas seu conteúdo visual, não seu código-fonte (código em Html ou alguma linguagem de programação).

*sistema de gerenciamento de conteúdo: ou CMS (Content Management System) – são aplicativos que gerenciam (criar, editar, publicar, excluir…) conteúdos web, como notícias, informações, artigos, textos, imagens, sons, etc. A princípio, este aplicativo recebe a informação e transmite-a no website, sem, necessariamente, o usuário alterar o código-fonte da página. Este aplicativo é muito usado em diversos websites corporativos, como páginas educacionais, jornalísticas, do governo, bancárias e páginas que possuem muito conteúdo de leitura, como blogs e páginas wikis. São diversos os aplicativos desenvolvidos para CMS; existem os pagos [de empresas que desenvolvem e vendem para grandes empresas sistemas CMS, por exemplo, vm2.com.br ] e os gratuitos, que em geral, são sistemas web. A princípio é necessário que haja um microcomputador preparado para instalá-los; são aplicativos leves, mas que, em geral, requerem a instalação de algum banco de dados e webserver para rodar no browser (navagador de Internet). Alguns aplicativos CMS: JOOMLA, WordPress, PHP-Nuke, Mambo, Microsoft SharePoint, etc.

Para e-commerce: (1) (PRINCIPAL) Tem planos que dão suporte a pagamentos on-line, ou seja trabalha com Https ? (2) Muitas empresas de hospedagem já possuem, em seus planos, um template* de e-commerce e seu gerenciador, cabendo ao assinante apenas inserir os produtos e organizar as disposições do cabeçalho, menus de navegação e disposição de produtos, ou seja, já está tudo desenvolvido, paga-se apenas um aluguel pelo uso e o assinante fica responsável pela inserção e divulgação dos produtos. (3) Algumas empresas de hospedagem, além de darem suporte a pagamentos on-line, também intermedeiam a compra do produto pelo cliente e, com uma porcentagem da venda, ou não, dependendo do plano, repassam o valor recebido ao assinante da loja virtual.

Registro BR – órgão gerenciador de domínios do Brasil

Primeiro passo para se ter um domínio no Brasil é solicitá-lo junto ao único órgão responsável por gerenciar os domínios (.com.br).registro_br_registro_dominio

Na parte (1), temos a opção de pesquisar a existência ou origem de um domínio específico. Essa opção é importante, pois mostra o contato e os servidores de quem o registrou e mostra, principalmente, se esse mesmo domínio a ser consultado está disponível para registro ou não. A pesquisa, por exemplo, de cruzeirodosul.edu.br mostra que o domínio já está registrado e configurado os servidores, clicando no link, Mais Informações e Whois, mostra detalhes de quem o registrou.

A sessão (2) é a sessão de cadastro. Todos devem fazer o cadastro, já que é gratuito. Ao ter um nome de um domínio que não existe, através do cadastro, pode-se “guardá-lo”, ou seja, comprar o domínio por alguns dias até registrá-lo devidamente, ou seja, até pagar a taxa do registro.br (R$ 30.00) e apontar os IP dos servidores que irão ser responsáveis pelo novo domínio. Após o cadastro, para adquirir um domínio, é preciso logar, com seu ID/Senha, e preencher um formulário de cadastro de domínio como segue abaixo. Para facilitar a explicação desse formulário, vamos dividi-lo em 4 partes. Segue, abaixo, uma breve descrição das partes do formulário de registro de domínios. Na seção (1) do formulário, deve ser digitado o novo domínio e depois escolher a área de atuação.

No formulário, variam de 1 a 69 os tipos de registro.BR. Na seção (2), há 2 variações: “Pessoa Jurídica” e “Pessoa Física”. No Brasil, os domínios que forem de atuação comercial são obrigatoriamente cadastrados com CNPJ, ou seja, é preciso fazer um breve cadastro da empresa, porém uma empresa pode cadastrar vários domínios. Para domínios de cunho profissional liberal ou afins, somente o CPF é necessário.

Na seção (3), o ID principal é o de registro, porém é possível delegar contatos para cobrança e suporte técnico para outros IDs. Na seção (4), no Servidor “Master” e “Slave 1” devem ser colocados o IP fixo fornecido pela ISP ou os IP´S de hospedagem.

Existem pessoas que compraram domínios com os nomes de empresas que ainda não o tinham, para depois venderem-no à própria empresa. Daí a importância de comprar o domínio com o nome da empresa ou até comprar o nome, a fim de evitar que isso ocorra, pois, a partir do momento em que um domínio é cadastrado, não se pode tirá-lo de quem o cadastrou nem recuperar esse domínio até que seu cadastro seja cancelado. Dica: se a empresa for cadastrada em outro ID, peça que o ID que cadastrou a empresa lhe transmita o registro da empresa, caso contrário, somente o ID que tiver cadastrado a empresa será o responsável pelo domínio.

Definição de Domínio: www.dominio.com.br

Um domínio é um endereço eletrônico que contém caracteres alfanúmericos (letras e números)
que informam o endereço eletrônico, seguido da sua área de atuação, juntamente com a sua
nacionalidade, geralmente, iniciando por www.

Exemplo:
www.teo.com.br
www – word wide web (rede mundial de computadores)
cruzeirodosul – nome eletrônico do portal
edu – área de atuação educacional
br – domínio de nacionalidade brasileira
Abaixo alguns exemplos de áreas de atuação:
.com.br – comercial
.ind.br – industrial
.edu.br – educacional
.net.br – uma opção ao .com.br
.blog.br – blogs
.flog.br – websites cujo conteúdo são imagens
.vlog.br – websites cujo conteúdo são vídeos

 

Para domínios estrangeiros – diferentemente dos brasileiros, que contêm apenas um portal –
há vários portais de gerenciamento de domínios e os principais são:

Namecheap www.namecheap.com
GoDaddy www.godaddy.com
Dynadot www.dynadot.com
DOMAIN www.domain.com

Nos domínios estrangeiros, principalmente dos Estados Unidos, os domínios são terminados
sem indicar a nacionalidade.

Exemplo
:
www.nasa.gov
www – word wide web (rede mundial de computadores)
nasa – nome eletrônico do portal
gov – área de atuação: pesquisa governamental sobre exploração espacial.

Principais formas de endereçamento e ancoras

1. URL– Uniform Resource Locator ou Localizador Padrão de Recursos – não,
necessariamente, são domínios de internet; geralmente são endereços de algum recurso do
sistema que disponibilizam arquivos, impressoras e outros recursos.
Exemplo : http://ftp.ubuntu.com/ubuntu/ (Disponibiliza o S.O. Linux Ubuntu)

2. IP-Internet Protocol ou Protocolo de Internet – são endereços numéricos que identificam
um recurso, dispositivo ou domínio. Exemplo: 74.125.229.183 – até a data da realização
deste material, é equivalente ao dominio www.google.com.br; ou seja, sabendo o endereço
IP, não é preciso, necessariamente, digitar o endereço do portal, porém é óbvio que é muito
mais fácil memorizar palavras do que números. Naquele caso seria como chamar as pessoas
pelo CPF em vez de pelo primeiro nome.

3. Http (Hypertext Transfer Protocol ou Protocolo de Transferência de Hipertexto) request
e response. Na Web, quando o usuário solicita uma página web, ao digitar o endereço
eletrônico, o solicitante faz um http request; nos Servidores DNS´s, ao localizar o servidor
solicitado, o Servidor DNS entrega ao solicitante o http response, ou seja, a página Html
(HyperText Markup Language ou Linguagem de Marcação de Hipertexto) ou serviço web na
porta HTTP do computador solicitante, juntamente com o endereço IP do servidor solicitado.

4. DNS – Domain Name Sistem ou Sistema de Nomes e Domínios. Lendo acima sobre
IP, vemos que é a forma numérica de um endereço eletrônico. O DNS, a grosso modo, é
uma “lista” que “liga” o endereço IP ao endereço eletrônico. A título de exemplo, imagine a
seguinte situação: uma lista telefônica gigante que contém o nome completo do indivíduo e seu
respectivo número de telefone; porém a ordem de apresentação do nome, na lista telefônica,
começa pelo último nome, depois aparece seu nome do meio e depois seu primeiro nome,
ao lado do seu número de telefone. Na web funciona, mais ou menos, da mesma forma;
quando se digita www.teo.com.br, é feita uma verificação de trás para frente, como
mostrado na Figura abaixo:
(1º) identifica que o endereço eletrônico pertence ao país Brasil,
(2º) após essa identificação, faz busca “na lista das áreas de atuação” educacionais,
(3º) em seguida, localiza o primeiro nome ou nome da Instituição,
(4º) aponta o endereço IP desse domínio.
(5º) e leva o usuário que digitou o endereço do portal para o serviço da HTTP camada
TCP (veja a Figura na página 11),que fica localizado na porta 80, do host do portal www.
cruzeirodosul.edu.br, á página padrão da Internet, a primeira a ser enviada ao solicitante
(usuário) caso digite apenas o endereço eletrônico (sem / depois do .br, exemplo: www.
teo.com.br/teste.hml) sem o index.htm, seguido das extensãoes html, php, jsp,
aspx. O nome index vem de indexação, ou seja, uma espécie de padrão universal para menu,
sumário ou índice, que, porém, pode ser configurado no servidor.

5. Link – Diminutivo de Hiperlink ou Hiperligação – são, geralmente, apontamentos ou
âncoras para outros domínios.