O LinkedIn é para o negócio (E-commerce ou Loja Virtual)

Para os casos B2B (empresas que vendem para empresas), os ganhos são mais óbvios e é muito mais fácil enxergar o caminho. Já as empresas B2C (que vendem direto para o consumidor final) normalmente não vêem a rede com bons olhos por pensarem só no contato com o cliente e esquecerem das outras oportunidades.
O passo inicial de qualquer investimento na rede é entender quais os objetivos da empresa, o que ela está buscando lá. Se isso ficar claro, fica muito mais fácil planejar os investimentos e ver onde vale apena colocar atenção e dinheiro.
As possibilidades que vamos apresentar aqui servem para mostrar diferentes caminhos e formas deuso para que você consiga digerir e adaptar ao seu caso.
Uma forma mais simples de ter resultadocom pouco esforço
Mesmo que você não queira criar um perfil ou página, participar de grupos ou investir em anúncios,há uma possibilidade simples de extrair valor da rede: disponibilizar o botão de compartilhar nos conteúdos que produzir.
É uma possibilidade que exige pouquissimos esforços e vira um incentivo a mais para fazer as pessoas espalharem seu conteúdo no canal.O código do plugin pode ser gerado na página de instruções do próprio LinkedIn.
Gerenciando perfis pessoais no LinkedI nem favor da sua empresa
Muitas empresas se preocupam com o fato de funcionários estarem no LinkedIn e ganharem exposição, correndo o risco de receber propostas melhores, principalmente de concorrentes.
Não é minha ideia falar de RH por aqui, mas o fato é que sua empresa tem que se garantir dando as recompensas, perspectivas e desafios suficientes para que o funcionário não deseje sair. É muito difícil evitar todas as possibilidades de contato com outras empresas e o LinkedIn é só uma das portas:fechá-la não é garantia de bloquear o caminho.
Por outro lado, funcionários com perfis bons e completos podem trazer diversos benefícios ao seu negócio. A começar pelo fato de que vender, fazer uma parceria e ganhar uma recomendação são ações que exigem a construção de muita credibilidade. Antes de comprar da sua empresa, é muito provável que o cliente faça uma busca, procure entender quem está por trás da empresa e avalie se essas pessoas passam segurança ou não, afinal ele carrega essa responsabilidade como comprador.
Pense em qual é a melhor situação: não encontrar o perfil do seu vendedor ou atendimento, encontrar um perfil incompleto/abandonado ou encontrar um perfil ativo, que compartilha informações relevantes do mercado e têm diversas recomendações de outros profissionais?
INFORMAÇÕES BÁSICAS: NOME, FOTO, CARGO ATUAL E RESUMO NO LINKEDIN
É impressionante a quantidade de vezes em que nos deparamos com perfis que sequer fazem o básico bem feito.Com nome não há muita margem para erro, mas na foto já começamos a encontrar problemas. O ideal é sempre ter uma foto profissional, bem vestido e de boa qualidade. Sua empresa pode contratar um fotógrafo profissional e marcar um dia de sessão de fotos para todos.
É comum, por exemplo, as pessoas usarem fotos bem vestidas mas em ocasiões não profissionais(casamentos, formaturas) que dependendo do fundo podem passar uma impressão ruim (fotos cortadas em situações que haviam mais pessoas, por exemplo). Fotos muito informais também não são indicadas na rede.
No cargo, é importante usar um título que as pessoas realmente procuram, já que esse é um dos principais critérios para seu perfil aparecer nas buscas, uma das formas mais comuns de te encontrarem.Já no resumo, invista tempo para realmente se vender bem, são poucas as pessoas que realmente fazem isso.
Você tem 2.000 caracteres para falar de forma direta com quem visita seu perfil. Procure responder claramente à pergunta “o que te credencia ou por que você é alguém que vale a pena incluir na minha rede?
EXPERIÊNCIA NO LINKEDIN
As experiências anteriores ajudam a fortalecer seu histórico e oferecem a possibilidade de dar referências às novas pessoas com as quais você está contato. Da mesma forma como no cargo atual, procure ser direto nos cargos anteriores e descrever bem oque fazia (atividades, objetivos, realizações)
CONEXÕES
É interessante ter um bom número de conexões porque, a não ser que você tenha uma conta premium,só é possível enviar InMails (as mensagens privadas dentro do LinkedIn que funcionam de forma semelhante a um email) para quem é seu contato.
Também, para adicionar novos contatos que você quer conhecer mais ainda não conhece, há a possibilidade de pedir para alguma conexão em comum fazer a ponte automaticamente pela rede. Assim,quanto maior o número de conexões, maior o tamanho do seu alcance.
Por fim, ter conexões em comum com um potencial parceiro ou cliente pode ser uma forte prova social e ajuda a gerar credibilidade ao seu perfil.Por isso, é recomendado que você aceite/adicione todos os seus contatos e sempre se lembre de procurar novas pessoas que conheceu para acrescentar à sua rede. Inclua também seu perfil no cartão de visitas.

Evento Jogo do Empreendedor – Entrada Gratuita – Sede Locaweb

No dia 12/07: o jogo do empreendedor vai começar!

A Locaweb deseja convidá-lo para participar de um evento na terça-feira, dia 12/7, das 8h30 às 12h.

Será um dia para compartilhar experiências, conhecimentos, dicas e conteúdo com duas palestras que irão ajudar você a ter sucesso com seu empreendimento na Internet.

Por onde começar? Para onde ir? Como fazer? Funciona mesmo? Será uma manhã bem agradável com profissionais que já atuam no mercado e empreendedores que estão enfrentando os mesmos desafios que você. E o mais legal: é gratuito. Mas corre porque são apenas 60 vagas!

Data: 12/07 (terça – feira)
Local: Sede Locaweb (Rua Itapaiúna 2434, Vila Andrade, São Paulo – SP)
ENTRADA FRANCA

Criador de Landing Pages: Página de captura de contatos, geração de Leads no E-commerce

Unbounce: o Unbounce é uma excelente ferramenta especializada em criação de Landing Pages. Ela oferece opções avançadas de customização e edição e tem algumas opções de integração com outras ferramentas como email marketing e CRM.

Se você nunca ouviu falar ou ainda tem dúvidas sobre o que é e para que serve uma landing page, esse artigo foi feito especialmente para você. Espero que no final dessa leitura fique claro para você o significado prático de uma landing page, a diferença entre landing page e homepage, e o propósito e benefício de uso dessas páginas.

Link: http://unbounce.com/br/geracao-de-leads/landing-page-definicao/

Criação de Landing Pages Gratis com Wix:

É impossível trabalhar com Marketing Digital em alto nível sem usar Landing Pages com inteligência.

Esteja você trabalhando com um eCommerce, SaaS ou geração de leads. Seja você B2B ou B2C. Landing Pages são uma parte fundamental de toda a sua estratégia de Marketing, você querendo ou não.

http://www.wix.com/html5en/hiker-landing-page

Use landing pages nas suas campanhas de marketing

Um jeito fácil de conseguir potenciais clientes

Links Relacionados:

https://landerapp.com/

http://landingi.com.br/

http://www.pagewiz.com/

A forma mais fácil de criar e testar landing pages otimizadas.

A Wishpond facilita criar landing pages bonitas e otimizadas para celulares e tablets em minutos. Sem programação.

Landing Pages

Agendamento de publicação nas principais redes sociais: Facebook, Instagram…

Buffer: o Buffer é uma ferramenta especializada no agendamento de publicações. Ela permite que a empresa monte uma fila de conteúdos, indique a frequência e número de repetição de publicações e já agenda ao longo do tempo buscando o melhor resultado.

Link: https://buffer.com/

Hootsuite: Hootsuite é uma plataforma segura de gerenciamento de mídias sociais desenvolvida para interagir, analisar e ouvir. o Hootsuite também permite agendar publicações nas principais redes sociais .

HootSuite é um sistema norte-americano especializado em gestão de marcas na mídia social, fundado em 28 de novembro de 2008 por Ryan Holmes na cidade de Vancouver no Canadá.  Com a capacidade de gerenciar suas redes sociais favoritas e agendar mensagens para publicação futura, a Hootsuite oferece uma ampla gama de possibilidades nas mídias sociais. Amplie seu alcance online e aumente sua produtividade com o Diretório de Aplicativos Hootsuite, uma verdadeira coleção de mais de 100 aplicativos como YouTube, Zendesk e Iconosquare.

Link: https://hootsuite.com/pt/

Ferramentas SEO: Avaliação da página apresentando otimização

Google Webmaster Tools: é uma ferramenta gratuita do Google que ajuda a fazer um diagnóstico da estrutura do seu site e erros comuns no HMTL, traz dados de aparições e cliques nas pesquisas do Google, links recebidos e mais uma série de funções importantes para quem trabalha com SEO.

Link: https://www.google.com/webmasters/tools/home?hl=pt-BR

======================================

Google Keyword Planner: a ferramenta de pesquisa de palavras chave do Google Adwords é uma ótima fonte de ideias de termos e também já traz informações relevantes. Normalmente usamos ela como um gerador de ideias mesmo: inserimos alguns termos importantes para o negócio e deixamos o Google expandir a lista com termos semelhantes.

Planejador de palavras-chave para E-commerce

Planeje suas campanhas da Rede de Pesquisa, receba insights de desempenho e veja ideias de palavras-chave.

Link: https://adwords.google.com.br/KeywordPlanner

======================================

Ubersuggest ou Keywordtool.io: mais duas alternativas gratuitas ao Google Keyword planner, que sugerem várias ideias de palavras chave a partir do input de alguns termos

Link: http://keywordtool.io/

======================================

Moz: Moz é uma ferramenta focada em SEO e Analytics que entrega algumas das mesmas funções que o RD Station. Lá é possível fazer um acompanhamento de ranking dos termos mais importantes para o seu negócio e também obter um diagnóstico on-page. Por ser especializada no tema, apresenta também algumas opções um pouco mais avançadas, como a mensuração de autoridade do domínio e das páginas, comparativo com concorrentes e rastreamento do site.

======================================

SEMRush: o SEMRush é uma ferramenta muito interessante de inteligência competitiva para que investe em buscadores. Lá é possível entender onde os concorrentes estão investindo (quais as keywords, como são os anúncios) e usar isso como insight para montar sua própria campanha. Normalmente é usado na etapa de planejamento de um projeto de compra de mídia

Link: https://www.semrush.com/

Tipo de Armazenamento de Dados – Téo Costa – Consultor de E-commerce

Nosso tema de hoje iremos abordar sobre formas de armazenamentos de dados, dos mais variados possiveis, baseados no dia a dia de empresas ou até mesmo usuarios domésticos, começamos a nossa pesquisa dizendo que armazenamento de dados ja vem la da idade da pedra, onde podemos ter como exemplo os homens da caverna quando desenhavam em pedras, ali era uma forma de se expressar e na mesma hora guardar um dado que futuramente outras pessoas poderiam ver, sendo assim passando a informação, com o passar dos anos foram acontecendo as mudanças e com isso surgiram varios tipos de armazenamento de dados, como fitas cassetes, discos de vinis, fitas VHS, até mesmo filmes fotográficos. Logo mais chegaram as midias de CD, DVD, cartões de memorias, pen drive, HD´s e uma afinidade de outros meios.
Com certeza nos dias de hoje os SSD são mais vantajosos que os HD´s convencionais devido a sua performance e risicos de perdas de dados, o que sabe até nos dias de hoje os Hd´s estão muito suscetiveis a erros e com isso colocaria em perigo a perda de dados, uma vez que perdido será muito dificil a sua recuperação. Para se ter uma base em números, hoje existem no mercado HD´s de varios tamanhos, são muitos usados pois o seu custo é bem mais em conta que os SSD´s, quando se fala em desempenho podemos destacar que os SSD´s são muito rapidos em relação a um HD, há relatos que em um PC convencional, com o windos instalado no HD o pc demore em média 2 minutos para ser iniciado, já o mesmo sistema operacional instalado em um SSD demore em média até 10 segundos, isso porque ele consegue taxas de até 250 MB/s na gravação e 700 MB/s na leitura.

Não podemos esquecer que nos dias de hoje também existe muitos outros tipos de armazenamento, podemos falar de armazenamento em nuvem, tudo feito pela internet através de backup a um servidor externo, pode ser pago ou gratis, temos como exemplo o própio onedrive da microsoft, tudo interligado a sua conta de email, muito prático e seguro. Podemos destacar também outros tipos de armazenamento como as midias de cd e dvd, muito utilizadas até hoje pois são muitos baratas e de facil acesso, qualquer lugar é encontrado, em uma midia de cd por exemplo vc consegue armazenar até 700 MB de espaço e tem os dvd´s que conseguem armazenar de 4 a quase 9 GB de espaço, porém o mau uso pode simplesmente danificar a midia e perder todos os dados, na verdade nenhum sistema é totalmente 100%, acredito que talvez hoje o que se tem em mais avançado seria o armazenamento em nuvem.
Temos também o sistema SAS, no mercado desde 1976, muito utilizado para processamento de dados, gerenciamento de arquivos, geração de relatórios, talvez por essas uma da principais vantagens seja o fato da recuperação de dados, e por trabalhar com quatro opções basicas sobre os dados onde você consegue Acessar, Analisar, Apresentar e Manipular, podendo ser instalados em diversos ambientes operacionais.
Outra forma de armazenamento também é o NAS(Network Attached Storage) que é nada menos que um servidor interno utilizado em empresas como se fosse um PC convencional onde a unica finalidade dele é armazenar os dados onde todos os computadores ligados em rede conseguem acessa-lo, trata-se de um servidor seguro, bastante viável até porque não necessita de grande Hardware, mas dependendo do tamanho da rede e de quantos usuarios acessam ao mesmo tempo podem haver travas e lentidões do sistema.
Bem resumindo sobre armazenamento de dados temos todos esses meios e outros, espero ter passado um pouco do meu conhecimento de uma forma clara, são todos dados retirados de materias pesquisados na internet onde se encontra muito artigos interessantes, desde já agradeço com o meu muito obrigado e bons negócios.

A FERRAMENTA DO DIÁLOGO: CRM (Customer Relationship Management)

Mas como manter esse diálogo? Como mostrar ao consumidor, sem ser invasivo, que ele é importante? E, ainda, como aproveitar esse diálogo para aumentar a chance de vender mais e melhor ao cliente? É possível fazer isso de muitas formas.

 

CicloCrm

Nesta unidade falaremos, especificamente, de CRM (Customer Relationship Management), uma ferramenta que tem se tornado indispensável no relacionamento com o consumidor, uma ferramenta que, evidentemente, não resolve sozinha todas as questões que perpassam o tema “gestão de relacionamento com o cliente”, mas que possibilita que esse relacionamento seja profícuo e inteligente, sem ser invasivo e insistente.

CRM (Customer Relationship Management), que pode ser traduzido como Gestão de Relacionamento com Clientes, é entendido, hoje, “não apenas como um software para gestão de clientes” (Gioia, 2006, p. 40), mas como um processo que envolve a empresa como um todo, visando ao melhor relacionamento possível com o cliente, que pode se estabelecer por meio de ações práticas derivadas de estratégias mercadológicas.

Ou seja, ao contrário do que, equivocadamente, algumas empresas acreditavam no passado, o CRM não se limita a softwares avançados. O CRM é uma filosofia de gestão que visa, por intermédio do relacionamento com o cliente, conhecê-lo, conquistá-lo e, sobretudo, mantê-lo.

O CRM pressupõe o diálogo entre a empresa e os clientes e que essa comunicação seja individual. Portanto, é essencial que as interações foquem uma geração mútua de valor, com base em uma relação de confiança, comprometimento e cooperação (Gioia, 2006, p. 49).

Para tanto, é preciso que a empresa esteja integrada e fale uma mesma linguagem; que, em sua cultura organizacional, o cliente seja visto não apenas como a fonte geradora de recursos, mas como o elemento para quem se trabalha.

Importância de conquistar um cliente e, claro, mantê-lo no E-commerce!

No mundo dos negócios, fala-se demasiadamente sobre a importância de conquistar um cliente e, claro, mantê-lo. Mas o que, efetivamente, as empresas têm feito para isso? Hoje, sabe-se que conquistar um novo cliente é seis vezes mais caro que mantê-lo (Kalakota; Robinson, 2002).

Isso, entre outras coisas, significa que não apenas bons produtos e serviços são o suficiente para fazer do cliente um fiel comprador. Significa também que é preciso manter um relacionamento duradouro com ele.

O relacionamento com um cliente, guardadas as devidas proporções, não difere muito de um relacionamento entre amigos.É preciso saber quem é o amigo – ou o cliente -, entender suas necessidades, compreender seus desejos e saber como “dialogar” e qual a hora certa para isso.Muitas empresas, e entre elas grandes empresas, pecam nesse aspecto: como dialogar? Qual a hora certa de dialogar?

Entenda-se dialogar, aqui, como uma metáfora. Dialogar com o cliente é estar sempre perto, ainda que de forma imperceptível, antes, durante e após a compra.

Ao planejar um produto/serviço, é preciso, entre outras coisas, dialogar com o cliente por meio de, por exemplo, uma pesquisa. Conhecê-lo. Saber, de fato, o que o cliente, realmente, precisa. Responder, sem titubear, à pergunta: “o que faz a vida do meu cliente melhor”? E só então definir o que será produzido. Nessa fase de planejamento, além das questões de produção e de custos, é preciso levar em consideração as necessidades e desejos daquele que é o elemento mais importante para a empresa, que a move, que a faz crescer: o consumidor.

Na venda de um produto também é preciso dialogar com o cliente. Nesse processo, não apenas a embalagem, a força da marca e a propaganda são importantes, mas também a disposição nas gôndolas das lojas e dos supermercados frequentados por esses clientes.

O produto ou serviço deve ser oferecido no local em que o consumidor precisa dele, sendo conveniente, estando disponível e oferecendo ao cliente não apenas um produto ou um serviço, mas uma solução para uma questão, muitas vezes, ainda nem levantada. Na venda de um produto/serviço, o cliente precisa saber o que está comprando e finalmente comprá-lo com a certeza de que está fazendo a coisa certa. Dialogar com o cliente é oferecer a ele a chance de se manifestar após a compra do um produto.

É possibilitar que ele, ao usar o produto/serviço comprado, sinta-se satisfeito com a escolha e fique certo de que o recurso investido na compra retornou em forma de benefício. Relacionar-se com o cliente vai além do processo usual de compra e venda. É preciso manter um diálogo duradouro, respeitoso e ético com o consumidor.

SELO DE SITE SEGURO: E-commerce | Transmissão de credibilidade

O selo é uma imagem utilizada para transmitir confiança, ela deve ficar disponível em qualquer web site que utilize alguns dos serviços da empresa certificadora para proteger a informação confidencial de seus clientes. O Selo Site Seguro indica aos consumidores que se utilizam do e-commerce que sua organização elegeu a melhor solução de protocolo de segurança (SSL) disponível no mercado para criptografar suas informações confidenciais. Portanto, o selo de certificação garante que o site é seguro e que as informações dos clientes estão protegidas por mecanismos digitais.

alguns-celos-de-seguranca-em-ecommerce

TECNOLOGIAS DE E-COMMERCE: TIPOS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

• Business-to-business(B2B)
Todos os participantes são empresas ou outro tipo de organização. Hoje a maior parte do comércio eletrônico é do tipo B2B(Cunningham,2001).

Business-to-consumer(B2C)
Envolve transações de varejo entre empresas e compradores individuais também são chamados de varejo eletrônico (e-tailing).

Consumer-to-business(C2B)
Envolve, por um lado, indivíduos que utilizam a Internet para vender produtos ou serviços, e por outro lado aqueles que procuram vendedores a fim de que ofereçam lances, para obter produtos e serviços de que necessitam.

Consumer-to-consumer(C2C)
Os consumidores vendem diretamente uns aos outros. Como por exemplos, indivíduos que vendem imóveis, carro e outros produtos nos classificados on-line ou em outros meios de veículos(sites)na internet que realiza este tipo de transação. Diversos sites de leilões também permitem a oferta de bens e objetos.

Business-to-employees(B2E) É uma subcategoria do comércio eletrônico a intranegócios na qual a organização oferece serviços, informações ou produtos a funcionários.

Comércio colaborativo (C-Commerce)
Quando indivíduos ou grupos se comunicam ou colaboram uns com os outros on-line, estão praticando comércio colaborativo. Tenha como exemplo: parceiros de negócios que estejam em locais diferentes podem juntos, desenvolver um produto por meio de telas compartilhadas, ou criar previsão de demanda de mercado.

Comércio eletrônico nonbusiness
Um número cada vez maior de instituições não-comerciais, como academias, aquelas sem fins lucrativos, as religiosas, as sociais e as agências do governo utilizam o comércio eletrônico para reduzir despesas ou aprimorar suas operações e serviços.